Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Come Into My Heart

Come Into My Heart

A Internet

18.02.20 | *

Este post terá mais de ressabiado do que de educativo.

Começo por dizer que sou dentista.

Sendo mãe, faço parte de um sem número de grupos no Facebook relacionados com maternidade, amamentação, baby led weaning, montessori, rear-facing...

Hoje leio um post acerca da (ausência de) higiene oral em creches.  Até aí, nenhuma novidade. A urticária surge quando leio os comentários e vejo totais baboseiras, para não classificar de uma forma ainda menos positiva. E isto leva-me ao título deste meu texto: A Internet. 

Um dos grandes perigos da Internet é que, por trás de um ecrã, cada um escreve o que quer sem olhar às consequências. Muitas vezes a informação que passam como factual, não passa de suposições ou mitos e, esquece-se muito facilmente, que quem lê pode não ter o discernimento de duvidar e pesquisar. 

Neste caso concreto que vos relato, li afirmações que apontam para a não promoção da saúde oral para evitar doenças transmissíveis por contacto com sangue, lavar os dentes muitas vezes é prejudicial porque desgasta o esmalte. São estas meias verdades, descontextualizadas, que me assustam. Tanto neste assunto como em tantos outros. 

Qualquer pessoa que entre no comboio a meio da viagem, descontextualizada, leva estes pseudo-factos como assumidos e depois lá vem uma nova história do "quem conta um conto, acrescenta um ponto". 

Investigation.xl.jpg

 

Acho que é perceptível que a minha primeira afirmação é mais que verdadeira: escrevi isto com os níveis de ressabiamento a apitar no máximo. Principalmente, porque isto nunca há-de mudar e porque quando tento explicar ou mostrar a minha perspectiva, parto sempre com uma atitude derrotista. Isto nunca há-de mudar. São mentalidades que já estão estabelecidas e, quase na generalidade, fechadas a admitir o erro. 

Quando se lê nas diretivas da saúde oral que se deve escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia, sou a única a entender que duas vezes será o mínimo e não o máximo?

Não sou extremista, admito que o importante é que haja a educação para a saúde oral em casa e desde que haja esse hábito pelo menos duas vezes por dia em casa com os cuidadores, já não me parece mal de todo. Mas aqueles comentários matam-me. Os factos que não são mais que opiniões e que lidos por outras pessoas podem ser tidos como factos. O perigo.

Vá, desliguemos o ressabiamento. 

Era só isto.

Vamos lá lavar os dentinhos.

*

 

 

2 comentários

Comentar post